segunda-feira, 3 de agosto de 2015

"Ribeira e Miragaia" por João Pires

Estas são as zonas mais puras e genuínas da cidade do Porto também conhecida por Invicta. Na Ribeira a densidade por metro quadrado de monumentos é espantosa. A agitação do tempo em que o Mercado da Ribeira era o mais concorrido da cidade, transformou-se em animação e lazer: esplanadas e cafés ocupam a Praça do Cubo (Praça da Ribeira) e o Cais da Estiva, enquanto os arcos medievais da antiga Muralha Fernandina foram aproveitados por restaurantes e lojas de artesanato. 

Praça da Ribeira
Praça da Ribeira


A cota alta da cidade, pode ser acedida pelo Funicular dos Guindais ou por longa escadaria, a partir da Ribeira até à Sé. Seguindo a marginal em direcção à Foz, a partir da Ribeira, chega-se a Miragaia

Situada já fora do burgo medieval, esta freguesia era um dos seus arrabaldes mais concorridos. Aqui, onde vivia uma comunidade de mareantes, instalaram-se os estaleiros medievais. Para minimizar os efeitos das cheias do Douro, Miragaia dotou-se, a partir do século XVII, de uma linha de casas sustentadas por arcos. 

Miragaia
Miragaia


Na segunda metade do século XIX assistiu-se à construção da Alfândega Nova, hoje um dinâmico pólo cultural. Ribeira e Miragaia são as mais típicas freguesias tripeiras, cuja população se desforra da desgraça das cheias do Inverno com a alegria contagiante das festas do Verão.

Sem comentários:

Enviar um comentário